• VAMOS PARAR DE ENDEMONIAR O DEMÔNIO.



    Tornou-se corriqueiro a expressão: é culpa do inimigo! Essa expressão sinceramente quando escutei pela primeira vez fiquei estarrecido e perplexo com a capacidade do ser humano de sempre ter em mente a questão do bode expiatório.

    Esse bode pode ser bem maior do que se pensa em se tratando de religião. Quando escrevi sobre o sentimento de culpa e a culpa propriamente dita queria abordar ali naquele texto toda a centralidade da situação.

    Hoje mais uma vez escrevo sobre culpa, mas com enfoque no imaginário popular em querer creditar que tudo de ruim que acontece é culpa do demônio, principalmente oriundas de pessoas que são ligadas a religião, leia-se: cristianismo. Isso é irritante.

    Quando estabelecemos prioridades em nossas vidas e quando nos responsabilizamos pelos nossos atos, essa suposta culpa do demônio desaparece.

    Não que eu queira eximir o demônio de culpa, longe disso, o que quero aqui é procurar acender a chama da responsabilidade, pois nossos problemas são nossos e de mais ninguém, não adianta ficar jogando a culpa no “inimigo”, como ele é comumente chamado.

    E os mais alarmistas são pessoas que tem a chama da religião acesa como brasa incandescente e possuem a verve para este fim, pessoas que estão acostumadas a escutar o padre ou o pastor bradarem de forma enérgica sobre a presença daquele ser, inclusive uns fazem até talk-show, conversam com o demônio.
    Existe coisa mais bizarra?

    O que está acontecendo é uma prática de eximir a culpa e jogá-la nele. Não precisamos disso. Primeiro porque antes de acreditar nessa figura demoníaca, acredito que tenho um Deus maior que tudo. Segundo que a parapsicologia é um assunto bem mais interessante do que conversas de comadres em quermesse sobre satanás.

    Por isso que digo: Temos que parar de endemoniar o demônio e não falar mal dele pelas costas.

    Esse ato é irritante, pois quando substituímos a culpa pela responsabilidade atraímos algo mais valioso para nossa vida, atraímos liberdade.

    E parar de falar só em demônio, satanás, inimigo e não sei mais o quê, isso é aterrador, triste demais.

    Assassinatos e barbaridades isso sempre o homem foi capaz de fazer, isso parte de várias questões que suplanta as religiosas, principalmente genéticas, pois as psicopatologias geram um mal estar social, pessoas que não estão possuídas coisíssima nenhuma, apenas estão deslocadas da sociedade, com alguma enfermidade mental e que precisam de tratamento.    

    DIGO E REPITO: TEMOS QUE PARAR DE ENDEMONIAR O DEMÔNIO E NÃO FALAR MAL DELE PELAS COSTAS, POIS NEM TUDO É CULPA DELE, A RESPONSABILIDADE É NOSSA, AFINAL ELE É SÓ MAIS UMA FORMA DE OPRESSÃO.
  • Você pode gostar também

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
    - não relacionados ao tema do post;
    - com pedidos de parceria;
    - com propagandas (spam);
    - com link para divulgar seu blog;
    - com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;