• LEI DE CAUSA E EFEITO: UMA CURIOSA LEI.





    É muito comum estabelecermos uma relação de vingança em nossas relações interpessoais em relação ao outro quando estas não dão certo.

    Isso nos é muito perceptível quando nos achamos prejudicados. Entra em cena a famosa lei de causa e efeito. Uma curiosa lei.

    Digo curiosa, pois essa lei rege nossa convivência natural com nossos pares e também ímpares. Quando algo não dá certo, costumamos resvalar: o que é dele (a) está guardado.

    E está mesmo. Não é de hoje que essa visão rege nossas vidas. O que se planta hoje se colhe amanhã, seja ela uma safra boa ou ruim. Já diziam os sábios.

    Chego a dizer que essa lei é uma visão cosmológica da nossa vivência no planeta.

    E tudo piora quando a figura do suprassensível entra em cena, Deus, como o costumamos chamar. Estabelecemos com Ele desde os mais remotos tempos uma relação doentia, de difícil compreensão.

    Você não consegue visualizar o que estou querendo dizer?

    É muito simples, quando simplesmente discutimos com Ele. Se eu faço isso o Senhor tem que fazer aquilo, e não vale ser na mesma proporção, ou seja se faço 10% desejo que Ele realize 90% ou até mesmo 100% do que pedi.

    A meu ver temos uma relação de corrupção com Deus, e alimentamos isso descaradamente.

    Fazemos de forma arbitrária e constante. Isso só indica que mais do que nunca fazemos parte de uma sociedade doente e cada vez mais dependente de uma situação hipotética.

    E quando o que foi pedido não acontece, frustramos nosso ego e nos deixamos embebedar pelo sentimento que tratei no início do texto, de vingança.

    Ou até mesmo quando não provamos que somos bons o suficiente para Deus, realizando os seus mandamentos, por exemplo, dizemos que Ele nos castiga e que, por conseguinte Ele é mau.

    Veja só, mais uma aplicação da lei de causa e efeito. Como disse essa lei é curiosa não é verdade?

    O que quero expor aqui neste breve espaço é que costumamos jogar toda a carga bruta em um ser que idealizamos como portador de uma esfera benevolente e que não consegue dizer não aos seus afilhados.

    Costumamos achar que Ele está ao nosso serviço, a nosso bel-prazer, para satisfazer as nossas vontades assim que o chamarmos e que essa lei de causa e efeito nada mais é que uma vingança, ou melhor, corretivo (vou ser bonzinho com Ele) pela nossa desobediência.

    Bem, não acredito que Deus seja vingativo, acredito que nossas transgressões morais nos fazem sentir na pele algo que Ele nos deu chamado de livre-arbítrio, e que só nossa consciência aplicada ao bom uso da razão poderá saber a diferença entre agir corretamente ou não, e achar que somos meras vítimas da famosa lei de causa e efeito.

  • Você pode gostar também

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
    - não relacionados ao tema do post;
    - com pedidos de parceria;
    - com propagandas (spam);
    - com link para divulgar seu blog;
    - com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;