• A ERA DO “EU FALSO”



    Como é comum gostar de receber elogios não é? Nada mais normal e contagiante do que participar de tal situação, só que o questionamento que levanto no texto de hoje é bem mais interessante do que somente falar de elogios.

    Receber um elogio aqui e acolá é prova cabal de que as coisas estão indo do jeito que você espera, mas cuidado leitor! Isso pode ser uma grande armadilha.

    De acordo com a psicanálise estamos vivenciando uma particularidade que atinge a totalidade, deu-se o nome de: A era do “eu falso”.

    Como mencionei essa particularidade atinge principalmente aquelas pessoas mais envaidecidas e que são dominadas pelo ego, porque desejam e querem ardentemente ouvir aquilo que lhes convém.

    Pessoas que se comportam utilizando esta linha de raciocínio, meticulosa e altamente seletiva fazem da vida de seus interlocutores um verdadeiro martírio.

    Porque elas só querem ouvir e presenciar o que bem entendem. E o outro tem praticamente a obrigação de tecer elogios homéricos mesmo sabendo que tudo aquilo pode ser uma grande mentira.

    E o grande problema é justamente esse, guardamos em nosso íntimo o que há de melhor e principalmente o que há de pior em relação a alguém.

    Transmitir uma mensagem falsa aquele que quer ouvir uma mensagem sincera transforma a máquina da sensibilidade em uma roleta russa que a qualquer momento pode soar o estampido do tiro a queima roupa.

    E na maioria das vezes a bala da insensatez fere os dois lados, uma crueldade sem tamanho, pois por mais que doa dizer a verdade ela é a solução mais adequada.

    Ai surge outro problema, aliás, para muitos se torna problema, mas para mim particularmente não é. Os “amigos” começam a sumir quando você se torna um poço de sinceridade.

    Não estou falando também para você sair dizendo verdades a todo o momento e ser o dono de uma ou outra verdade, não é isso. Mas ser sincero consigo mesmo é uma excelente alternativa.

    E quanto às pessoas que só querem ouvir elogios, falsos diga-se de passagem, dê-lhes o silêncio, inclusive até já falei sobre esse assunto aqui no blog, pois o silêncio acalma os instintos mais bravios e faz com que “eu falso” do sujeito torne-se um “eu verdadeiro”, porque só ele pode encontrar sua verdadeira essência.


    Até a próxima.
  • Você pode gostar também

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
    - não relacionados ao tema do post;
    - com pedidos de parceria;
    - com propagandas (spam);
    - com link para divulgar seu blog;
    - com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;