• DEIXEM O DEMÔNIO TIRAR FÉRIAS



    Quando assisti ao filme O Exorcista há uns 10 anos percebi o quanto somos usados pelas forças do mal de forma pretensiosa e ilusória, essa é a principal forma do mal: a ilusão.

    No filme, uma garota é possuída, e o resto vocês sabem... Agora o que quero dizer aqui é que sempre procuramos colocar a culpa no demônio. A poque ele fez isso, fez aquilo, a culpa é do demônio.

    Meu texto não é para defendê-lo, de forma alguma. E sim para colocar um adendo nessa história de que o encardido como alguns o chamam é uma entidade que realmente existe e precisa ser combatido.

    Mas de forma consistente e não ensandecida. Agora lembrei de uma vez que conheci o famoso exorcista padre Rufus, indiano, já falecido. Fui ao primeiro Misericórdia Brasil no ginásio Paulo Sarasate e tive uma experiência única.

    Quando ele estava orando de forma muito profunda e entusiasmada todos escutaram uma gargalhada de assombrar até os mais corajosos, vinda do lado de fora do ginásio. E eu disse pra mim mesmo: "eita que ele(demônio) está enfurecido."

    Essa experiência muito particular que relato a você que lê esse texto reflete que nossa fé é e pode ser maior que toda ação maligna para nos deixar nocauteados.

    E á aí que entra a oração, que abala as estruturas e planos maquiavélicos de qualquer espécie.

    Só que muitas dessas ações são provocadas não pelo capiroto, mas também por nós. Por nossas péssimas intenções, por pensamentos destrutivos e ações impensadas.

    Como bem disse Jung: "somos anjos e demônios. Um não existe sem o outro." Essa é a nossa luta diária, fazer com que o anjo prevaleça e que nossas atitudes sejam louváveis e coerentes.

    Como já cansei de dizer, somos seres espirituais e necessitamos de oração a todo momento. As batalhas acontecem a todo momento, a cada instante, a cada segundo. E temos que estar preparados. Principalmente para quem segue Jesus (e quem não o segue também).

    Por isso que digo: deixem o demônio tirar férias. Não existe essa questão de culpa. Devemos sempre dizer assim: é minha responsabilidade, minha máxima responsabilidade. Dessa forma a culpa desaparece.

    É muito conveniente ter sempre um bode expiatório, e o demônio é um prato cheio hein?

    Encarar a realidade é a melhor saída. O real é o real, não é o iene, não é a libra, nem o dólar(principalmente o dólar rsrsrs)... Muitas vezes nos desesperamos com o que está acontecendo, mas a chama viva da esperança nos confortará.

    E outra coisa, o bem acontece sim, só não é tão divulgado quanto o mal, pois não dá tanto ibope. Em cada esquina alguém que precisa de um cobertor físico e espiritual é providenciado de alguma maneira pela espiritualidade.

    Assassinos em série aparecendo a todo momento, psicopatas e sociopatas mexem com a sociedade e nada acontece? Acontece sim, apenas não enxergamos com os olhos físicos.

    A espiritualidade trabalha constantemente, a todo momento, a todo vapor. Só que desejamos a resposta para ontem. E não é bem assim que as coisas andam.

    Por isso quando quisermos colocar a culpa em alguém, ou entidade, pensemos primeiro de que forma é feita minha autoavaliação como pessoa, como ser pensante, como cristão.


    Dessa forma que peneiramos o que há de melhor em nós mesmos, poderemos um dia usufruir o que um dia poderemos alcançar... A vida eterna que almejamos, a vida que um dia sonhamos, em quem podemos nos tornar.
  • Você pode gostar também

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
    - não relacionados ao tema do post;
    - com pedidos de parceria;
    - com propagandas (spam);
    - com link para divulgar seu blog;
    - com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;