• O FALSO CONTROLE



    “Temos a sutil necessidade de exercitar o controle em nossas vidas, mas quando nos deparamos com sua falsa percepção, nos damos conta do quanto somos perecíveis.”
    Randerson Figueiredo

    Essa frase de minha autoria não é nenhuma novidade, mas a sua percepção assim a torna uma novidade, de que forma?

    Bem, temos uma noção de que podemos tudo controlar, e que esse falso e descabido controle nos leva a uma conclusão de que somos aquilo que devemos ou pelo menos deveríamos ser.

    Mas só que não é bem assim, acredito que há uma força que rege este universo a que eu chamo de Deus, outras pessoas colocarão outras denominações, mas isso não importa.

    O que interessa é termos a plena consciência de que por mais que queiramos identificar o nosso “eu” como comandante da embarcação chamada vida, o Ser quem comanda deveras é outro.

    E nesse ínterim há um falso controle. Não quero aqui dizer que não há o livre arbítrio, não, pelo contrário. Temos a livre decisão de escolha, mas há um projeto para cada uma delas.

    Costumo comparar essa situação como uma montanha-russa, onde quem controla o vagão é Deus e o vagão representa a nossa vida cheia de altos e baixos. E os trilhos a nossa fé.

    Tecer a história requer cuidados homeopáticos particulares de cada um, cuidados esses que enaltecem a nossa jornada rumo ao infinito cósmico e espiritual.

    Por isso que devemos ter uma relação amistosa com o sublime, com o sutil, com a espiritualidade. Caso contrário, padeceremos nas profundezas do mar sem fim de tristezas e questionamentos infundados que nos levarão a um martírio sem respostas.

    Essa incerteza que muitas vezes nos acarreta em uma vida cheia de preocupações é procurar saber qual será a próxima jogada que o oponente fará. Sim, esse oponente pode ser você mesmo. Ou na pior das hipóteses: Deus.

    Deus nesse caso será seu inimigo. Péssima escolha. A jornada da vida é uma longa batalha não entre o bem e o mal, o certo e o errado, o justo e o ímpio; mas adquirir a noção da busca pela verdade.

    “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”
    João 8:32

    Quem nunca escutou essa passagem bíblica?

    Pois muito bem, nossa conversa hoje se resume nessa passagem, pois mais que conhecer a verdade, a sua busca detém uma força inabalável pela centralidade linear do Evangelho.

    E é isso que nos move: a busca por uma grande Verdade. Que no caso é Cristo (Deus filho), chegando ao Pai, na busca pela Santidade do espírito.

    Que a Santíssima Trindade nos movimente, oriente-nos e una-nos num só caminho, numa única e eterna jornada no verdadeiro e Santo controle de nossas vidas.


    Grande abraço.  
  • Você pode gostar também

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
    - não relacionados ao tema do post;
    - com pedidos de parceria;
    - com propagandas (spam);
    - com link para divulgar seu blog;
    - com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;