• # SÉRIE PECADOS CAPITAIS # 2 # ORGULHO – O INÍCIO DE TODOS OS PECADOS




    “Deus apaga a memória dos orgulhosos, enquanto faz perdurar a dos humildes de coração.”Eclo 10,14-21

    Antes de tudo, quero dizer que essa série funcionará da seguinte maneira. Serão três postagens comuns para uma da série, ou seja, a cada três postagens será uma dos pecados. Tudo bem? 

    E isso eu posso postar um artigo sobre a série no mesmo dia que uma postagem comum, como estou fazendo hoje.

    Continuando a série sobre pecados capitais hoje iremos abordar sobre: orgulho. E como essa é uma análise filosófica, abordarei neste espaço alguns filósofos sobre as diversas temáticas. Cristãos ou não-cristãos vamos exercer a diversidade.

    A o orgulho, esse sentimento que tem várias facetas e que pode vir camuflado de soberba, vangloria, vaidade dentre outros.

    É do desordenado amor a si mesmo, a raiz de todo pecado, que brotam as três concupiscências de que fala S. João quando diz:

    "Porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida não vem do Pai, mas do mundo".

    Estas são, de fato, as três maiores manifestações do espírito do mundo no que concerne os bens do corpo, bens exteriores e bens espirituais, vamos a principal delas para entender o texto:

    A soberba da vida é o amor desordenado da nossa própria excelência, de tudo o que possa enfatizá-la, não importa quão difícil ou duro isso possa vir a ser.

    Aquele que se agarra mais e mais ao orgulho acaba por tornar-se seu próprio deus, como lúcifer fez. Deste vício todo pecado e perdição pode originar-se; dai a importância da humildade, uma virtude fundamental, fonte de todas as virtudes, justamente como o orgulho é a fonte de todo pecado.

    Portanto meus amigos, a principal virtude que se contrapõe ao orgulho é a humildade.

    O orgulho é uma venda nos olhos espirituais. Ele nos mata aos poucos, camuflando as suas ações de forma sorrateira.

    Veja o caso de Adão. Foi puro orgulho, ele agiu impulsionado em conhecer o bem e o mal e não ter superior, não ter chefe, ser um verdadeiro autônomo nas ações físicas e espirituais.

    E o que aconteceu todo mundo já sabe. Com essa ideia de Adão querer ser seu próprio mestre colocou tudo a perder, uma tentação que até hoje se repete em relação ao dinheiro, para alguns o primeiro e único deus.

    O orgulho nos afasta, portanto, do conhecimento efetivo da vontade de Deus, da contemplação, do que a humildade, pelo contrário, nos dispõe. Por isto Cristo diz:

    "Eu Te agradeço, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque Tu escondeste estas coisas dos sábios e prudentes e as revelastes aos pequeninos."

    O orgulho espiritual é o mais poderoso agente para nos tirar da contemplação das coisas divinas. Com esse entendimento, S. Paulo escreve: "A sabedoria incha, mas a caridade edifica".


    Que possamos ficar com este ensinamento, pois através dos benefícios divinos podemos acolher uma morada sadia e benéfica e que a humildade possa prevalecer em todas as nossas ações. Que Deus cresça e eu desapareça.
  • Você pode gostar também

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
    - não relacionados ao tema do post;
    - com pedidos de parceria;
    - com propagandas (spam);
    - com link para divulgar seu blog;
    - com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;