• SENHOR DO PRÓPRIO DESTINO




    Já faz um tempinho que não cito Jung nos meus textos, invariavelmente escrevo mais sobre filosofia do que sobre a psicologia analítica propriamente dita.

    Hoje com o texto “Senhor do próprio destino” será diferente, irei retomar a questão junguiana, a psicologia analítica em si, de forma breve.

    Como sempre gosto de abordar meus textos com frases de Jung, aí vai mais uma delas: “O que não enfrentamos em nós mesmos encontraremos como destino.”

    Essa frase foi dita sobre a questão Ego e Arquétipo. Frase lúcida e contundente sobre como devemos enfrentar a vida e de que forma podemos transformá-la sempre.

    É como se fosse um bumerangue, no qual o lançamos com toda envergadura e força e ele um dia retornará para prestar contas, para prestar satisfações sobre como estamos levando a vida.

    Essa, acredito eu seja a essência da frase de Jung. Um problema mal resolvido retornará em algum momento para um acerto de contas, seja ele pequeno, médio ou grande...

    E chamaremos assim de destino. Devemos pois assim sermos senhores do nosso próprio destino, sabendo que há uma força maior que nós capaz de modifica-lo a qualquer momento chamado: Deus.

    Mas tudo que está ao nosso alcance merece e deve ser cumprido da melhor maneira possível com pompa e circunstância como a ocasião merece.

    Não devemos delegar tudo a Deus, nem Ele quer isso, acredito. “Esforça-te e eu te ajudarei”, está na Bíblia. Mais do que estar na Bíblia, esta palavra deve estar em nossos corações.

    No sermão da montanha em Mateus capítulos 5 ao 7 Jesus nos brinda de forma eloquente (é até redundante falar isso não é?) de como devemos agir com nós mesmos e com nosso irmão.

    Ele faz um resumo de todos os principais ensinamentos Divinos e de como devemos enfrentar a vida, levando sempre com sabedoria e humildade um dos maiores ensinamentos do Cristo: “amai ao próximo como a ti mesmo”.

    Portanto nosso destino deverá ser aquele almejamos vir a ser, um devir que se torna um grande dever. De sermos bons cidadãos, de sermos cristãos, de sermos donos da própria vida.
  • Você pode gostar também

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
    - não relacionados ao tema do post;
    - com pedidos de parceria;
    - com propagandas (spam);
    - com link para divulgar seu blog;
    - com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;