• A BELEZA DA FLOR DE LÓTUS E A PSICOLOGIA ANALÍTICA



    A natureza é simplesmente genial, maravilhosa, esplêndida...

    Enfim, a quantidade de adjetivos seria insuficiente para qualificá-la diante das belezas que ela insiste em nos ofertar, e nós, educadamente aceitamos de bom grado.

    Hoje irei falar da beleza da flor de Lótus e a psicologia analítica.

    Como costumo ser objetivo nos meus textos aqui do blog, vou direto ao ponto: o que me fez escrever sobre a flor de lótus foi justamente sua perseverança em fazer valer a sua força, sua vitalidade.

    Para quem não sabe, a flor de lótus nasce no lodo, da lama! E é uma flor muito bela, linda demais.

    A flor de lótus é um tipo de lírio d’água cujas raízes têm a base na lama e no lodo de lagoas e lagos. A flor de lótus possui a semente com maior longevidade e resistência: pode aguentar até 30 séculos antes de florescer sem perder a sua fertilidade.

    A flor de lótus é símbolo de pureza e beleza que pode surgir em um terreno alagadiço.

    Esta bela flor emerge e se nutre de barro, em pântanos ou lugares alagadiços, e quando floresce se eleva sobre o lodo. De noite, as pétalas da flor se fecham e ela mergulha sob a água.

    Ela se fecha para mergulhar, mas ao amanhecer se levanta novamente sobre a água suja, intacta e sem restos de impureza por causa da disposição das suas pétalas em forma de espiral.

    A flor de lótus tem a peculiaridade de ser a única flor que é fruto ao mesmo tempo: o fruto tem a forma de cone invertido e está no seu interior.

    Quando a flor está fechada ela não tem cheiro, mas quando se abre o seu aroma lembra o jacinto. Muitos consideram o seu aroma hipnotizante, capaz de alterar o estado da consciência.

    O fascínio por esta flor fez com que ela se tornasse um símbolo fundamental para diversas civilizações ao longo da história. A flor de lótus é considerada sagrada e um dos símbolos mais antigos com diversos significados para os países do Oriente, embora também encontremos diversas referências a elas no mundo ocidental.

    Na mitologia grega, os lotófagos eram um povo místico que os antigos identificavam como os habitantes de uma povoado ao nordeste da África. Diz a lenda que uma bela deusa se perdeu em um bosque até chegar a um lugar onde abundava o lodo, denominado lótus, onde ela afundou.

    Este espaço havia sido criado pelos deuses para os seres cujos destinos haviam sido fracassar na vida. Contudo, a jovem lutou durante milhares de anos até que conseguiu sair dali transformada em um bela flor de lótus, simbolizando o triunfo da perseverança diante das situações adversas.

    No contexto budista, o lótus serve como assento ou trono para Buda e indica um nascimento divino. No mundo cristão, a flor de lótus é o lírio branco que significa tanto fertilidade quanto pureza. Tradicionalmente, o Arcanjo Gabriel leva para a Virgem Maria o lírio da Anunciação.

    Você deve estar se perguntando: até aí tudo bem, mas e a psicologia analítica?

    Aí que a psicologia analítica entra com toda a sua força.

    O pântano representa o nosso lado negativo, a nossa sombra coletiva, e todos os dias quando a flor mergulha para retornar no dia seguinte, mergulha para renascer e enfrentar com brilho um novo dia.

    Então o que desejo dizer é que a flor de lótus tinha tudo para dar errado, mas ela deu muito certo, graças a sua perseverança e garra, persistência e coragem de seguir em frente.

    A flor de lótus representa o poder da resistência psicológica como capacidade para transformar a adversidade em potencialidade.

    Suzanne C. Kobasa, psicóloga da Universidade de Chicago, conduziu várias pesquisas nas quais detectou que os indivíduos com personalidade resistente têm uma série de características em comum. Costumam ser pessoas de grande compromisso, controle e orientadas ao desafio.

    As pessoas mais belas com as quais tive a oportunidade de me encontrar são aquelas que conheceram a derrota, conheceram o sofrimento, conheceram a luta, conheceram a perda e encontraram o seu jeito de sair das profundezas.

    -Elisabeth Kübler-Ross-


    Mais tarde esta explicação foi transformada no termo resiliência, a essência da personalidade resistente.

    A resiliência é definida como a capacidade dos indivíduos de superar períodos de dor emocional e grandes adversidades. Escrevi um texto sobre esse assunto alguns anos atrás >>> A importância da resiliência.

    A flor de lótus implica uma metáfora maravilhosa de como existem pessoas capazes de dobrar a dor e desdobrá-la posteriormente em forma de serenidade, autocontrole e persistência.
  • Você pode gostar também

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
    - não relacionados ao tema do post;
    - com pedidos de parceria;
    - com propagandas (spam);
    - com link para divulgar seu blog;
    - com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;