• A FOGUEIRA DAS VAIDADES



    A quem interessar
    O mundo das frivolidades
    Não pode deixar de pular
    Na fogueira das vaidades

    Uma fogueira sem distinções
    Um fogaréu de incredulidades
    Um mundo de amarrações
    Pessoas cheias de vontades

    Querem ser o que não podem ser
    Aparecer a qualquer custo
    Um dia deixarão de receber
    Menções desse mundo tão injusto

    Uma dádiva do céu aparece
    Indicando o brilho do astro-rei
    E sua pureza logo fenece
    Daquilo que tanto ansiei

    É uma longa estrada a percorrer
    O caminho da humildade a ser traçado
    Aquilo que um dia pode morrer
    E do medo do que nunca foi almejado

    A carne é fraca
    Isso eu bem sei
    Enfiada a estaca
    Daquilo que nunca falei

    Fazer o bem
    É a nossa verdade
    Sem olhar a quem
    Na fogueira da vaidade

    O fogo que arde
    E queima sem dó
    E sem muito alarde
    Desmorona tudo ao seu redor

    Esse é o fogo que contamina
    Esse é o fogo que arrasta
    O que alucina
    Tudo isso já me basta

    Não desejo ser vaidoso
    Desejo ter humildade
    Passar pelo caminho pedregoso
    Da porta estreita que está a Verdade

    Verdade essa de Jesus
    O caminho das verdades
    O Verdadeiro homem que nos mostrou a luz
    E nos faz apagar a chama da fogueira das vaidades


    Randerson Figueiredo, 19/05/17 às 11h00min
  • Você pode gostar também

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
    - não relacionados ao tema do post;
    - com pedidos de parceria;
    - com propagandas (spam);
    - com link para divulgar seu blog;
    - com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;